Você já ouviu falar sobre coaching e mentoring?

Se você está em busca de desenvolvimento pessoal ou profissional, é provável que já tenha se deparado com esses termos e até mesmo encontrado definições errôneas, que os aproximam de uma terapia ou um simples curso.

Muito além disso, coaching e mentoring são processos extremamente importantes para que uma pessoa consiga evolução pessoal e profissional e envolvem técnicas e metodologias sérias, capazes de transformar a vida de quem busca por elas.

O que muita gente não sabe também é que coaching e mentoring são coisas diferentes, focadas em pontos distintos do comportamento e das habilidades de uma pessoa. Quando trabalhados da maneira certa, eles são capazes de trazer resultados incríveis para a vida de quem os aplica e aproximam as pessoas de seus sonhos e objetivos.

E afinal de contas, você sabe o que é coaching e mentoring? Sabe a diferença entre eles e quando é melhor optar por um ou por outro? No restante deste artigo vamos abordar exatamente esses pontos. Confira!

O que é coaching?

Coaching é um método de treinamento e desenvolvimento baseado em métodos científicos como a neurociência e a psicologia, que tem como objetivo principal promover o crescimento e evolução pessoal e profissional de um indivíduo.

O processo de coaching não é focado na aquisição de habilidades técnicas, mas sim na dimensão emocional. Por meio de exercícios e reflexões, o coachee (pessoa que realiza o processo de coaching) aprende a lidar melhor com suas próprias barreiras e limitações e com isso pode melhorar – e muito – sua performance profissional, autoconfiança, produtividade, capacidade de realização e muito mais.

Por isso tudo, o coaching muitas vezes é confundido com uma terapia ou uma prática de auto-ajuda, o que não é correto. Esse processo tem suas particularidades e está muito mais relacionado ao atingimento de metas e superação, misturando técnicas diferentes.  

Quem é o profissional de coaching e qual é seu papel?

O profissional de coaching é chamado coach, o equivalente a treinador em inglês, e no final das contas esse termo já diz muito por si só. O coach é quem irá acompanhar o coachee durante todo o processo de coaching e ele será o responsável por treinar e desenvolver habilidades e técnicas específicas nessa pessoa, que a deixarão mais perto de seus objetivos e sonhos.

Um coach pode atuar em diferentes nichos (pode ser um coaching financeiro, conjugal, pessoal), mas não precisa necessariamente ter formação técnica na área escolhida, uma vez que, como citamos no tópico anterior, esse é um processo focado mais no aspecto emocional e comportamental do que em habilidades técnicas específicas. Esse profissional precisa apenas ter uma boa formação no próprio processo de coaching, estando preparado para exercer suas atividades.

É dever do coach encorajar, incentivar e oferecer as ferramentas necessárias para que seu coachee atinja seus objetivos e metas e para isso é feito um acompanhamento bem próximo por parte desse profissional.

Como funciona o processo de coaching?

O processo de coaching inclui encontros periódicos – semanais, quinzenais ou mensais – em que o coach trabalha com seu “aluno” o desenvolvimento de habilidades e competências específicas, que o guiarão rumo ao seu objetivo ou meta predefinido.

Isso acontece por meio do uso de métodos científicos comprovados e da prática de exercícios específicos. Durante o processo de coaching, o coachee aprende a lidar melhor com seus medos, ansiedades e barreiras emocionais, desenvolve seu senso de realização e proatividade e muito mais.

O coaching é sempre pensado de acordo com as necessidades e desejos de cada pessoa e vai ser desenvolvido de forma que faça sentido para ela. Esse não é um processo unidirecional e depende também do empenho e dedicação do coachee para dar certo. Com todas as atividades é esperado que o coachee se torne mais independente e protagonista em sua carreira, conseguindo “caminhar com os próprios pés”.  

O que é mentoring?

O mentoring é um processo que tem como objetivo o desenvolvimento profissional de um indivíduo, por meio de mentorias e do acompanhamento de uma figura mais experiente.

Ao contrário do coaching, o mentoring é mais focado no desenvolvimento de habilidades técnicas e não se aprofunda tanto em aspectos emocionais, relacionados ao comportamento, atitudes e motivações de uma pessoa. Por meio de cases, exemplos, exercícios e ferramentas específicas, durante o mentoring uma pessoa aprende como melhorar pontos específicos de seu desempenho profissional e desenvolve habilidades que permitirão um crescimento mais rápido e consistente em sua carreira.

Apesar de parecer algo simples e independente de muita técnica, para ser aplicado corretamente o mentoring precisa seguir um processo específico e o mentor precisa estar preparado para auxiliar seu “aluno” corretamente.

Quem é o profissional de mentoring e qual é o seu papel?

O profissional de mentoring, não à toa, é chamado de mentor e deve realmente ser um guia para seu aluno ou cliente. Ele necessariamente tem mais experiência de mercado do que seu mentorado e já percorreu um caminho de sucesso nas áreas pelas quais essa pessoa quer se aventurar.

Diferente do coaching, o mentor não precisa ter uma formação em mentoring para oferecer esse processo, uma vez que já é um especialista – um profissional sênior – na área de desenvolvimento almejada pelo mentorado.

O papel do mentor em um processo de mentoring é o de direcionar os esforços do mentorado para atingir seus objetivos de carreira e ensinar técnicas e habilidades que serão essenciais para seu desenvolvimento profissional. Por isso é essencial que ele tenha experiência e competências técnicas.  

Como funciona o processo de mentoring?

Durante o processo de mentoring, o profissional, em reuniões periódicas, deve guiar seu mentorado para que ele desenvolva habilidades e competências específicas que lhe permitam atingir seus objetivos de carreira pré-determinados.

Por exemplo, se uma pessoa está buscando se tornar diretora em uma startup, ela pode buscar por um mentor que já passado por esse cargo e que possa lhe transmitir conhecimentos específicos, que às vezes não são tão óbvios e simples para o mentorado, como capacidade de persuasão, construção de uma rede de contatos, cursos específicos e etc.

Durante esse processo, o mentor deve se manter sempre próximo ao seu aluno para garantir que ele está de fato evoluindo e dando passos em direção à seu objetivo final. E apesar de não precisar de uma formação em mentoring, é sempre importante que o profissional mentor tenha conhecimento profundo sobre esse processo e esteja dedicado à ele, para que gere bons resultados.

Coaching e mentoring: qual o mais adequado para mim?

Como deve ter sido possível notar, coaching e mentoring, apesar de muito confundidos, são processos diferentes, com metodologias diferentes e objetivos diferentes. Enquanto o coaching busca trabalhar o lado mais emocional de uma pessoa, relacionado à sua motivação, comportamentos e atitudes, o mentoring tem uma abordagem mais técnica e procura desenvolver habilidades de uma pessoa relacionadas ao crescimento e atingimento de objetivos em uma área específica.

Por isso, é ideal que antes de escolher por qual prática optar, você entenda bem sobre os dois processos e consiga ver os benefícios e particularidades de cada um.

Para te ajudar, se você:

  • já tem metas (profissionais ou não) estabelecidas e sabe os passos para chegar até elas;
  • precisa de desenvolvimento técnico ou de habilidades relacionadas à sua profissão;
  • quer estar mais bem preparado para seu mercado;
  • e não tem problemas para se manter motivado, sabendo transformar suas metas em ações concretas,

então o indicado é que você busque por uma mentoria.

Mas se você:

  • precisa trabalhar seu lado emocional;
  • quer se conhecer melhor;
  • aprender técnicas para se manter motivado e focado;
  • quer ser protagonista em sua vida e buscar por resultados (independente do âmbito),

então pode ser que você precise mesmo de um processo de coaching.

Porém, como você deve ter notado, o mais comum é que as pessoas tenham necessidades relacionadas às duas técnicas e não especificamente a apenas uma delas. Por isso, na maioria dos casos é ideal que coaching e mentoring sejam feitos em conjunto. Assim o indivíduo pode se desenvolver de forma mais rápida e completa, dando a devida atenção para suas habilidades técnicas e também emocionais – é o que fazemos aqui na Penser, por exemplo.

Conclusão

Agora que você já sabe as principais diferenças entre coaching e mentoring e sabe como cada uma dessas técnicas pode ser decisiva para seu desenvolvimento pessoal e profissional, é hora de pensar em como aplicá-las em seu dia a dia.

Procure por profissionais qualificados para te acompanharem e ao começar qualquer um dos dois processos, se esforce para cumprir os direcionamentos e atividades propostas pelos profissionais que estão te guiando.

Se quiser conhecer mais sobre o método da Penser e receber uma consultoria de carreira gratuita, com insights valiosos sobre seus próximos passos, clique aqui ou na imagem abaixo. Um de nossos especialistas entrará em contato com você em breve.

consultoria de carreira personalizada

Fechar Menu