O que pessoas (muito) bem-sucedidas financeiramente têm em comum?

Quando Steve Siebold era um estudante universitário sem dinheiro, sua busca para se tornar rico começou com uma entrevista realizada com um milionário (ele contou isso recentemente para a revista US News & World Report). O objetivo era descobrir padrões de comportamento que levavam pessoas a se tornarem muito bem-sucedidas financeiramente, por conta própria.

Desde então, ele entrevistou mais de 1.200 das pessoas mais ricas do mundo ao longo das últimas três décadas e se tornou ele próprio um self-made millionaire, ou seja, alguém que construiu sua fortuna sozinho, sem heranças ou afins. Em sua pesquisa, ele notou um passatempo que os ricos têm em comum: eles se auto-educam através de leitura.  Siebold é um consultor e mentor de CEO´s das “Fortune 500” e sabe muito bem do que está falando.

“Ande na casa de uma pessoa rica e uma das primeiras coisas que você verá é uma extensa biblioteca de livros que usam para educar-se sobre como se tornar mais bem-sucedido”, escreve Siebold. “A classe média lê romances, tablóides e revistas de entretenimento. As pessoas ricas preferem ser educadas do que entretidas”. Aqui cabe uma ressalva, um auxílio ao leitor. Ninguém quer abolir o ócio. Mas dá para ocupar o tempo de uma maneira mais inteligente, produtiva e além de tudo prazerosa.

Tome Warren Buffett, por exemplo, que estima que 80% de sua jornada diária é dedicada à leitura. OK, ele é bilionário e tem tempo para isso. Mas é só para que você relembre como é que ele chegou até lá, certo?

De acordo com Thomas Corley, autor de “Rich Habits: The Daily Success Habits Of Wealthy Individuals,” 67% das pessoas ricas assistem TV durante uma hora ou menos por dia. Enquanto apenas 23% das pessoas pobres mantêm o seu tempo na TV em menos de 60 minutos. Corley também encontrou em pesquisas o fato de que somente 6% dos ricos assistem a reality shows, enquanto 78% dos pobres fazem isso.

Outro ponto mencionado por Siebold é que os ricos não necessariamente colocam muito estoque na promoção da riqueza através de educação formal. Eles apreciam o poder da aprendizagem ao longo da vida e muito depois da faculdade. “Enquanto isso, as massas estão convencidas de que os graus de mestrado e doutorado são o caminho para a riqueza, principalmente porque eles estão presos na linha linear de pensamento que lhes impede de níveis mais elevados de consciência”, escreve ele. “Os ricos não estão interessados ​​nos meios, apenas o fim.”

Lembra daquela piada que aparecia nos intervalos da MTV, numa tela preta? “Desligue a TV e vá ler um livro”. 

Então, ela nunca saiu de moda.

Gostou? Compartilhe, comente e envie para os amigos.

*Artigo original adaptado da Business Insider

1(2)

Fernando Pacheco

Mineiro, animado e bom leitor. Formado em Comunicação pela PUC-MG, MBA em Gestão de Pessoas e Graduado em GRH. Head of Pre-Sales na Samba Tech, proprietário da Penser e sócio da Life. E o mais importante, padrinho do Mateus. É isso aí...