Quando Steve Siebold era um estudante universitário sem dinheiro, sua busca para se tornar rico começou com uma entrevista realizada com um milionário (ele contou isso recentemente para a revista US News & World Report). O objetivo era descobrir padrões de comportamento que levavam pessoas a se tornarem muito bem-sucedidas financeiramente, por conta própria.

Desde então, ele entrevistou mais de 1.200 das pessoas mais ricas do mundo ao longo das últimas três décadas e se tornou ele próprio um self-made millionaire, ou seja, alguém que construiu sua fortuna sozinho, sem heranças ou afins. Em sua pesquisa, ele notou um passatempo que os ricos têm em comum: eles se auto-educam através de leitura.  Siebold é um consultor e mentor de CEO´s das “Fortune 500” e sabe muito bem do que está falando.

“Ande na casa de uma pessoa rica e uma das primeiras coisas que você verá é uma extensa biblioteca de livros que usam para educar-se sobre como se tornar mais bem-sucedido”, escreve Siebold. “A classe média lê romances, tablóides e revistas de entretenimento. As pessoas ricas preferem ser educadas do que entretidas”. Aqui cabe uma ressalva, um auxílio ao leitor. Ninguém quer abolir o ócio. Mas dá para ocupar o tempo de uma maneira mais inteligente, produtiva e além de tudo prazerosa.

Tome Warren Buffett, por exemplo, que estima que 80% de sua jornada diária é dedicada à leitura. OK, ele é bilionário e tem tempo para isso. Mas é só para que você relembre como é que ele chegou até lá, certo?

De acordo com Thomas Corley, autor de “Rich Habits: The Daily Success Habits Of Wealthy Individuals,” 67% das pessoas ricas assistem TV durante uma hora ou menos por dia. Enquanto apenas 23% das pessoas pobres mantêm o seu tempo na TV em menos de 60 minutos. Corley também encontrou em pesquisas o fato de que somente 6% dos ricos assistem a reality shows, enquanto 78% dos pobres fazem isso.

Outro ponto mencionado por Siebold é que os ricos não necessariamente colocam muito estoque na promoção da riqueza através de educação formal. Eles apreciam o poder da aprendizagem ao longo da vida e muito depois da faculdade. “Enquanto isso, as massas estão convencidas de que os graus de mestrado e doutorado são o caminho para a riqueza, principalmente porque eles estão presos na linha linear de pensamento que lhes impede de níveis mais elevados de consciência”, escreve ele. “Os ricos não estão interessados ​​nos meios, apenas o fim.”

Lembra daquela piada que aparecia nos intervalos da MTV, numa tela preta? “Desligue a TV e vá ler um livro”. 

Então, ela nunca saiu de moda.

Gostou? Compartilhe, comente e envie para os amigos.

*Artigo original adaptado da Business Insider

1(2)


Fernando Pacheco

Mineiro, animado e bom leitor. Formado em Comunicação pela PUC-MG, MBA em Gestão de Pessoas e Graduado em GRH. Head of Pre-Sales na Samba Tech, proprietário da Penser e sócio da Life. E o mais importante, padrinho do Mateus. É isso aí...