Mudar de emprego ou se abrir para outras experiências é algo incrível e que pode transformar a carreira de uma pessoa. Porém, na maioria dos casos, essa parte prazeirosa vem depois de um processo que ainda causa “frio da barriga” de muitos profissionais: pedir demissão.

Por mais experiente que um profissional seja, o momento de pedir demissão é normalmente bastante tenso e, se não for desenrolado com cuidado, pode causar desconfortos, mal entendidos e até prejudicar a imagem de uma pessoa.

Apesar de ser algo totalmente natural para as empresas e para a carreira da maioria dos profissionais, é preciso ter cautela antes, durante e após o pedido de demissão. Uma decisão errada ou uma palavra “atravessada” pode complicar as coisas e tornar um processo relativamente simples em um verdadeiro pesadelo.

Por isso, neste artigo reunimos as 8 dicas mais importantes para quem está pensando em pedir demissão. Com elas você vai aprender sobre a melhor forma de comunicar sua decisão, sobre seus direitos e deveres e também sobre o que você deve ou não fazer. Continue lendo!

1. Tenha certeza das suas motivações e saiba se é mesmo a hora de pedir demissão

Quando se trata de sair de um emprego, é importante ter os motivos dessa decisão muito claros e garantir que eles são mesmo suficientes para sustentar essa escolha. Do contrário, caso você tome uma decisão precipitada ou da qual tem pouca certeza, você pode acabar ficando frustrado e prejudicar o desenvolvimento da sua carreira.

A seguir, listamos alguns bons motivos pelo qual você pode decidir pedir demissão do seu emprego.

Você sente que está estagnado e sem desafios

Um excelente motivo para o pedido de demissão pode ser o sentimento de que você não está evoluindo e que não tem mais para onde crescer dentro da empresa.

Nesses casos, antes de tomar a decisão final, é interessante conversar com seu superior direto, explicar o que você está sentindo e avaliar se há alguma forma de reverter a situação. Caso não haja, pedir demissão ou mudar de emprego é uma atitude compreensível.

Recebeu uma proposta de emprego mais interessante

Se você está se destacando em sua atual empresa, em um bom momento de carreira, e recebeu uma proposta de emprego mais interessante do que a atual, é válido pensar em pedir demissão.

Antes, caso você goste da sua atual empresa, é importante comunicar a proposta a seus superiores, para entender se não há espaço para algo semelhante dentro da própria organização. Caso não haja ou você realmente já esteja interessado em sair por outros motivos, é interessante verificar os benefícios oferecidos por ambas posições, a cultura da nova empresa, seus valores, salário e muito mais. Só assim você garante que o pedido de demissão está sendo realmente uma boa decisão e evita frustrações em sua carreira.

Vai fazer um curso no exterior

Se você quer fazer um curso no exterior e a duração dele é superior ao tempo que você pode ficar ausente da empresa, pedir demissão pode ser necessário.

Nesses casos, certifique-se de que realmente a certificação agregará bastante à sua carreira e que você tem uma reserva de dinheiro para “segurar as pontas”, caso você volte pro país e não consiga outro emprego imediatamente.

Cursos, especialmente no exterior, são excelentes para o currículo de um profissional, mas devem ser feitos com cuidado e no momento certo.

Você não se adaptou à cultura da empresa

Se você começou recentemente em uma empresa ou se ela passou por uma mudança e você não conseguiu se adaptar à sua cultura, pode ser hora de pedir demissão e buscar por um outro trabalho.

Quando seus valores e diretrizes não são compatíveis com o que a empresa prega e executa, dificilmente você se sentirá motivado e conseguirá ser totalmente produtivo e eficiente dentro dessa organização. Nesses casos, é realmente melhor começar a buscar por outro ambiente.

Faltam reconhecimento e feedbacks claros

A falta de transparência e de reconhecimento dentro de uma empresa também é outro forte motivo que pode levar uma pessoa a pedir demissão.

Para garantir um bom desenvolvimento de carreira e uma evolução constante na empresa, é preciso que o colaborador receba feedbacks constantes e esteja disposto a colocá-los em prática no dia a dia da organização. Se isso não acontece e você sente que a falta de retorno está travando seu desenvolvimento, pode ser realmente a hora de pedir demissão.

Claro que antes de tomar a decisão, é sempre válido conversar com seus superiores e ver o que pode ser feito a esse respeito. Mas no final das contas, lembre-se de que sua carreira é o mais importante!

2. Tenha uma conversa com seu superior antes de espalhar a notícia

Uma dica importante para quem está pensando em pedir demissão e não quer criar desconfortos desnecessários é: fale com seu superior direto antes de espalhar para os colegas a notícia de que você vai pedir demissão.

Isso vai te ajudar a evitar fofocas dentro da empresa, o que é extremamente importante para manter um bom clima organizacional, e ainda vai evitar que seu líder fique sabendo da notícia por outra pessoa antes de que você mesmo lhe conte.

Portanto, segure a ansiedade e fale primeiro com quem realmente precisa saber dessa notícia. Deixe que os amigos e colegas comemorem ou chorem por você em outro momento!

3. Esteja preparado para uma negociação

Em muitos casos, dependendo da sua performance profissional e do quanto você é estratégico para a empresa, pode ser que seus superiores, junto ao RH, tentem te fazer uma contraproposta, para te fazer ficar na empresa.

Por isso é muito importante que você tenha bem claros os motivos pelos quais quer sair. Afinal, assim você pode analisar se existe ou não a possibilidade de que eles sejam atendidos e evita que você permaneça na empresa pelos motivos errados – e acabe se frustrando.

Se você quer sair pela ausência de feedbacks, entenda como a empresa pode se comprometer com a melhoria desse ponto e pondere. Se o problema era o salário, veja se o oferecimento de um aumento atende às suas necessidades. Se a falta de um plano de carreira era o que incomodava, veja como a organização e seus líderes se dispõem a resolver esse ponto. E assim por diante!

4. Formalize o pedido junto ao RH

Além de comunicar ao seu superior direto, uma vez tomada a decisão da demissão, você deve comunicar ao setor de RH imediatamente.

Assim eles vão poder tomar todas as medidas legais cabíveis nesse caso e trabalhar para que seu desligamento seja o mais tranquilo possível, garantindo seus direitos e cobrando seus deveres – sobre os quais vamos falar nos dois próximos tópicos.

5. Entenda seus deveres

Uma vez que você realmente decidiu pelo pedido de demissão, é preciso estar ciente dos deveres que você tem junto à empresa. Os principais nesse caso são:

Aviso prévio

Quando opta por se desligar de uma empresa, o colaborador deve avisá-la sobre sua decisão pelo menos 30 dias antes da data real da saída, período durante o qual ele deve cumprir o famoso aviso prévio.

Esse intervalo de tempo, enquanto trabalhado pela pessoa que pediu demissão, dá ao empregador tempo para encontrar outra pessoa para a vaga que ficará aberta e evita que o negócio tenha prejuízos financeiros e operacionais com sua saída.

Caso o profissional não comunique com a antecedência necessária ou opte por não cumprir o aviso prévio, ele pode ter que pagar um valor a empresa, para cobrir possíveis danos. Por isso, fique atento!

Exame e entrevista demissional

Antes de sair de um trabalho, assim como no momento da entrada, é preciso que o colaborador passe por um exame médico, que possa atestar sua saúde ocupacional, e que também responda à uma entrevista demissional.

No momento desse questionário, que normalmente é feito junto a um superior e à alguém do setor de RH, é importante que a pessoa seja completamente sincera quanto às suas percepções sobre a organização, os motivos da saída, os pontos de melhoria e etc. Tudo deve ser pontuado de maneira construtiva, sem ataques, ofensas ou reclamações de cunho pessoal, e deve ser muito bem fundamentado em fatos e dados.

Assim você mostra que foi um profissional dedicado até o fim e ajuda a construir uma organização melhor para as pessoas que estão ficando e que vão entrar no negócio futuramente.

6. Saiba também dos seus direitos

Claro, além dos deveres, é importante que você entenda a respeito dos direitos que tem em um possível caso de demissão. Alguns dos principais:

13° proporcional

Ao sair de uma empresa, é importante que todo colaborador saiba que tem direito ao 13° salário proporcional aos meses em que trabalhou na empresa. Sabendo do mês em que você entrou na empresa, de acordo com o mês em que você pedir demissão, será feito o cálculo a partir do salário que seria recebido integralmente.

Exemplo: uma pessoa que começou a trabalhar em Janeiro e pediu demissão em Maio, tem direito a receber 5/12 do valor do 13° salário.

Férias

O colaborador também deve ficar atento às regras que incidem em relação às férias.

Em casos de um pedido de demissão, o colaborador pode ter direito a receber férias em dobro, caso a empresa tenha ultrapassado o período de concessão determinado por lei; férias simples, caso o colaborador tenha cumprido todo o período aquisitivo, a empresa esteja dentro do período de concessão, mas o profissional fique impossibilitado de tirar as férias por conta do pedido de demissão; ou férias proporcionais, caso o colaborador tenha cumprido apenas parte do período aquisitivo.

É importante procurar saber mais sobre cada um desses tipos e entender em qual das remunerações a sua situação encaixa, para evitar transtornos.   

Saldo de salário

Ao pedir demissão, é importante saber também que todo colaborador tem direito a receber o salário de forma proporcional à quantidade de dias em que trabalhou no mês. Por exemplo, se alguém pede demissão no dia 13, tem direito a receber a parte do seu salário correspondente aos 13 dias trabalhados na empresa.

Nos casos em que o colaborador é quem pede demissão, é necessário ainda ficar atento à dois pontos: o não recebimento do FGTS e a não possibilidade de ser enquadrado em programas como o seguro desemprego. Muita gente opta por sair de suas empresas sem estar ciente desses pontos e acaba tendo problemas financeiros, que impactam uma série de outras questões.

7. Não saia falando mal da empresa

Por mais que você esteja insatisfeito com sua atual organização ou que ela tenha problemas, ao pedir demissão, não saia falando mal dela com seus colegas, familiares ou com pessoas de outras empresas. Isso pode te trazer problemas legais – uma vez que muitas empresas possuem termos de confidencialidade assinados por todos os colaboradores – e também prejudicar sua imagem profissional diante de outras empresas e profissionais do mercado.

Se você tem feedbacks negativos e críticas construtivas, deixe-os na entrevista de desligamento e faça o possível para que eles realmente ajudem a empresa a crescer e evoluir. Entenda outros pontos como parte do passado e como uma experiência que ajudou a te formar como profissional e pessoa.

Não guarde mágoas e garanta que as portas estejam sempre abertas de ambos lados!

8. Peça recomendações aos colegas e superiores

Principalmente se você vai sair de uma empresa para ir em busca de outras oportunidades, é importante pedir para que seus colegas e superiores te escrevam recomendações – por isso também é tão importante manter um bom relacionamento com todas essas pessoas e com a empresa em questão.

Seja no LinkedIn ou por meio de uma carta de recomendação formal, é importante que você tenha indicações, reconhecimentos e feedbacks positivos de seus antigos colegas. Isso vai te ajudar a manter uma boa imagem no mercado e fazer com que a busca por um novo emprego ou novas experiências seja muito mais tranquila.

O pedido de demissão não precisa ser um pesadelo!

Depois de ler esse texto e levar em conta todas as nossas dicas e informações, você deve ter percebido que pedir demissão não é esse bicho de sete cabeças que o mercado pinta, certo?

Se tomada com cuidado, essa é uma decisão que pode fazer muito bem para a sua carreira e que, no final das contas, é algo totalmente natural! Por isso, se você está pensando em sair da sua empresa, pense bastante, considere os prós e contras dessa decisão e leve em conta tudo que citamos nesse artigo, incluindo seus direitos, deveres e boas práticas.

Em muitos casos, a demissão não é a única saída e pode ser reversível. Conversar com um coach de carreira nessas situações pode ser ótimo para te ajudar a entender o que realmente vale mais a pena e para garantir que você não sofrerá com os efeitos dessa decisão. Se precisar, fale com um dos especialistas da Penser e veja como podemos te ajudar. Basta clicar aqui ou na imagem abaixo!

Já teve alguma experiência nesse sentido? Não deixe também de compartilhar nos comentários e dar sua dica a quem está buscando orientação.

consultoria de carreira personalizada - como pedir demissao

Fechar Menu