A proatividade é um tema em alta no ambiente corporativo tanto pelo impacto causado nos resultados das empresas quanto pela capacidade de alavancar carreiras. Se você ainda não incorporou completamente esse conceito em sua vida, saiba que, a cada dez empregadores, seis mencionam esse comportamento como uma das virtudes procuradas nos candidatos a uma vaga em sua organização.

Além disso, a pesquisa que aponta o dado acima – feita para o guia “As Melhores Empresas para Começar a Carreira” e publicado pela VOCÊ S/A – reforça a necessidade de maior eficiência e produtividade dos colaboradores, uma vez que as equipes estão cada vez mais enxutas. E isso, amigo, tem tudo a ver com proatividade.

Antes de tudo, o que é proatividade?

Por mais que se trate de um tema amplamente difundido, existe ainda alguma confusão acerca do significado de ser proativo. A proatividade é a habilidade de identificar um problema ou desafio, antecipar uma solução ou decisão e assumir a responsabilidade, o esforço e o controle da ação. Felizmente, é uma competência que pode ser desenvolvida, não sendo, necessariamente, uma qualidade nata.

A confusão acontece quando se entende a capacidade de tomar a iniciativa para propor algo antes de todos como definição para o comportamento proativo. Isso não é o suficiente. É preciso inovar nas soluções e apresentar um desempenho que supere as expectativas. No final das contas, o que realmente fará a diferença é a autonomia, a habilidade de ultrapassar obstáculos por caminhos ainda não percorridos e conquistar os melhores resultados possíveis, entende?

Além disso, também não se deve confundir o profissional proativo com o multitarefas – aquele que executa várias tarefas simultaneamente, principalmente as urgentes, e consegue cumprir todas nos prazos devidos. A proatividade vai muito além, ela demanda organização, planejamento e antecipação de variáveis e de contratempos.

Proatividade x reatividade: quais as diferenças?

Para reforçar o entendimento sobre proatividade, vale a pena esclarecer, ainda, o conceito de reatividade. Diferentemente de um indivíduo proativo, a pessoa reativa é inerte, isto é, ela espera que um fato ocorra para tomar uma atitude e, assim, lidar com as consequências. Ela tem dificuldade de tomar a iniciativa sem uma ordem prévia, o que, comumente, resulta em omissão ou perda de oportunidades.

proatividade x reatividade
O comportamento reativo é ultrapassado. O colaborador deve assumir uma postura autônoma e confiante para antecipar problemas e oportunidades. Agir é a ordem da vez.

Quem assume essa postura é condicionado pelo ambiente, espera por ocorrências ou mudanças que geram suas reações. Frente a um mercado extremamente competitivo, essa característica é cada vez mais desprezada pelas equipes de RH, uma vez que levam o profissional à estagnação e a empresa à obsolescência, à perda de participação e de valor no mercado.

E então? Onde você está nessa classificação? Te convido a descobrir se você é, de fato, um profissional proativo e no que precisa evoluir. Sua carreira conta com isso, meu caro. Acompanhe:

Quais as características de um profissional proativo?

  • Capacidade de antever problemas e oportunidades no ambiente interno e no contexto externo e de propor ideias e alternativas, com foco sempre em soluções, ações antecipadas e resultados, nunca no problema ou em achar culpados;
  • Participação ativa em reuniões, interesse pelo planejamento estratégico e por ferramentas que otimizem processos e tarefas do dia a dia. Dessa forma, busca ganhar tempo para se dedicar às atividades que julga serem mais valiosas;
  • Comprometimento em sanar, de forma responsável e harmoniosa, adversidades no ambiente de trabalho, bem como auxiliar colegas em suas funções e engajá-los na filosofia da empresa – influenciar comportamentos e direcionar caminhos;
  • Autonomia e assertividade em ações sem ordem prévia: executa suas tarefas e vai além do esperado, com o objetivo de alcançar resultados mais eficientes ou efeitos nunca antes observados, por meio de caminhos diferentes;
  • Anseio por novos desafios e manutenção da motivação em alta: sabe olhar para o futuro, planejar e assumir riscos controlados;
  • Busca constante por informação e qualificação;
  • Presença de sentimentos como a determinação, a perseverança e a resiliência;
  • Fácil adaptação a qualquer ambiente e flexibilidade frente a questionamentos e adversidades;
  • Cumprimento de metas, superação de expectativas, inovação e reconhecimento autoral frequentes. 

Afinal, qual a importância da proatividade para as empresas?

Uma organização que conta com uma equipe proativa tende a incorporar esse comportamento em suas ações institucionais e estratégicas, o que pode alavancar a produtividade, gerar excelentes resultados, ampliar a participação no mercado e fortalecer o relacionamento com seus clientes. A proatividade está diretamente relacionada com alta performance e inovação, aspectos determinantes para criar diferenciais competitivos.  

Ser proativo é fazer mais do que o esperado e melhor.
Ser proativo é fazer mais do que o esperado, por caminhos diferentes e conquistando melhores resultados.

Além disso, líderes com essa postura têm a capacidade de inspirar, de transformar e, mesmo após sua saída da organização, manter o engajamento entre seus seguidores. Veja o exemplo de Steve Jobs: os colaboradores da Apple mantêm a filosofia e os preceitos de seu fundador, mesmo após seu falecimento, assegurando o destaque da empresa no mercado da tecnologia. Definitivamente, não há razão para investir em um perfil profissional diferente, concorda?

E para o profissional, quais as vantagens de ser proativo?

Justamente pelo fato de as empresas compreenderem os benefícios que esse perfil traz, indivíduos proativos têm alto valor no mercado e raramente ficam desempregados. Eles são vistos como aqueles que entregam resultados e contribuem diretamente para a saúde financeira da organização.

Normalmente, líderes ou colaboradores proativos são destaque em suas funções e agregam valor à empresa. Dessa forma, ela reconhece a necessidade de mantê-los satisfeitos e motivados, oferecendo um plano de carreira atraente, reconhecimento, remuneração adequada, recompensas, boas condições de trabalho e novos desafios. Uma troca justa, não é mesmo?

Além disso, esses profissionais têm maiores chances de ascensão dentro da organização e de receberem propostas para novas oportunidades de trabalho. Enfim, uma probabilidade muito maior de uma carreira promissora.

Vale lembrar, ainda, que esse comportamento também é resultado de planejamento, organização e controle das ações: o proativo nunca está à deriva. A consequência disso é um melhor desempenho, um tempo gasto com mais qualidade e menor dificuldade no cumprimento de metas e prazos. A busca constante por evolução torna o proativo mais motivado e feliz com o que faz e conquista.

Como desenvolver essa habilidade?

De maneira geral, as pessoas apresentam características proativas e reativas, em maior ou menor intensidade, de acordo com a personalidade de cada um. Essa tendência é que tornará mais fácil ou difícil desenvolver tal competência. É uma ruptura com hábitos antigos e isso requer dedicação e paciência. Com essa consciência, siga as dicas essenciais que listamos a seguir:

  • Busque o autoconhecimento e o mapeamento de suas competências e habilidades. Assim, você identificará suas limitações e possibilidades de melhoria;
  • Invista em coaching para o autoconhecimento, para mudanças comportamentais e para a determinação de objetivos mais assertivos. O coach ajudará a planejar um melhor gerenciamento do tempo, a eliminação de ações improdutivas, o aprimoramento de habilidades e o desenvolvimento de competências em potencial, além da gestão de carreira;
  • Mantenha atitude positiva e abandone a procrastinação. Foque sempre nas soluções e não nos problemas. Esteja sempre pronto a agir e será reconhecido por isso. Criar oportunidades deve ser sua responsabilidade, não as espere cair do céu;
  • Desenvolva inteligência emocional, resiliência e flexibilidade. Nem tudo sai como o planejado, é preciso se adaptar, ser criativo, estar pronto para buscar alternativas;
  • Seja um facilitador para sua equipe;
  • Pesquise, qualifique-se e evolua. Quanto melhor embasado estiver e maior for sua qualificação, mais confiante se sentirá para expor suas ideias, aceitar críticas construtivas e lidar com discordâncias. Aliás, encare as adversidades como desafios e aprendizado. Não se esqueça: a combinação entre proatividade e qualificação gera alto desempenho!
  • Seja um constante observador e desenvolva visão sistêmica para analisar o ambiente interno e externo. Assim, você tem mais chances de identificar o que pode ser aprimorado, tendências e novas oportunidades. Observe as ações daqueles que você admira, teste as técnicas deles somadas aos seus conhecimentos. Isso lhe ajudará a construir seu repertório de ações;
  • Otimize sua rotina: planeje e organize suas tarefas e determine prioridades, analise o tempo gasto com cada uma e como torná-las mais rápidas, sem perder em qualidade. Quanto mais você puder se dedicar a sua criatividade e seu pensamento estratégico, melhor!
  • Mantenha um network com pessoas proativas e as observe em ação;
  • Não tenha receio frente às mudanças. Por mais que possam nos assustar, são elas que nos tiram de nossa zona de conforto e nos trazem as melhores experiências. Abrace-as como desafios. Afinal, a vida é para isso, não?
Proatividade é inovar, é escolher um caminho ainda não percorrido, sair da zona de conforto
O profissional proativo inova, escolhe o caminho e não tem medo de sair de sua zona de conforto.
  • Compreenda os limites da proatividade dentro da cultura organizacional da instituição. Ter autonomia não significa romper com a hierarquia, com as funções ou com as normas de conduta da empresa;
  • Questione as “eternas verdades”. Já ouviu aquela frase: “não sei o motivo, mas sempre foi feito assim”? Muitas vezes, os colaboradores se acomodam com procedimentos enraizados e não vislumbram melhores soluções.

Espero que, após essa leitura, o conceito de proatividade esteja bem claro para você. Mais ainda, que você esteja certo de que esse fator é uma competência determinante para a sobrevivência das organizações e para a prosperidade de sua carreira profissional. Não perca mais tempo, coloque-a em prática!

Quer conhecer outras competências indispensáveis para o sucesso de sua carreira? Navegue pelo nosso blog e conheça outros conteúdos valiosos para essa conquista!

Fechar Menu