A palavra gap pertence à língua inglesa. Mas, no Brasil, nós também a utilizamos para diversas finalidades e dentro de diversos contextos. Hoje, vamos focar no sentido que a palavra gap assume no meio corporativo. O texto de hoje aborda, especificamente, gaps de empresa. Vamos explicar o que são gaps de empresa, como eles podem ser prejudiciais para o negócio e, ainda, como identificá-los e superá-los. Então, se você quiser saber mais sobre o assunto, continue lendo este texto.

O que são gaps?

Gap é um termo em inglês que tem o significado de lacuna, vão, brecha, vácuo, distanciamento, separação. Devido à sua gama de significados, a palavra gap pode ser empregada em contextos diferentes e, por isso, vai assumir diferentes significados dependendo do contexto em que se encontrar. Um gap pode ser a interrupção de algo, uma brecha aparente, mudança brusca, diferença etc. Quando há um gap, aparece um espaço em “branco”.

E no caso de gaps da empresa, o que isso significa?

Todas as empresas possuem uma cadeia de valor. Esse termo se refere ao conjunto de atividades que uma organização desempenha, abarcando desde a ideia até à distribuição do serviço ou produto. Porém, devido às constantes transformações que ocorrem no mercado, muitas empresas acabam focando mais no que acontece no exterior e deixam a preocupação com seu interior em segundo lugar. Como consequência, muitos gaps da empresa não são identificados e acabam ficando sem solução. Porém, a ineficiência de diversas organizações, muitas vezes, está mais relacionada com problemas internos do que com as condições de mercado.

Um gap na empresa é um desequilíbrio, uma dissonância ocorrente na cadeia de valor. Trata-se de lacunas no negócio que causam problemas para a organização. Os gaps da empresa indicam, geralmente, que houve uma mudança importante nos fundamentos daquela corporação. Um gap também pode ser entendido como uma falha entre o que foi planejado e o resultado obtido.

Existem diferentes tipos de gaps, como gaps de competência, gaps de exaustão, gaps de rompimento, gaps da qualidade etc. Abaixo, separamos os cinco principais gaps.

5 principais gaps da empresa

Os gaps da empresa descritos abaixo são importantes e merecem atenção:

  1. Gap da Informação: resulta de análises e pesquisas acerca do mercado e do consumidor que não são feitas da forma correta e acabam fazendo com que a empresa tome decisões baseada em informações que não condizem com a realidade;
  2. Gap da Concepção: devido às informações incorretas, não é possível traçar uma solução, fazendo com que haja problema no planejamento correto de soluções;
  3. Gap da Produção e Entrega: a solução produzida e entregue não satisfaz as expectativas do mercado nem do cliente, aumentando o insucesso da corporação;
  4. Gap da Comunicação: basicamente, este gap trata de uma discrepância entre o que é prometido e o que é entregue ao cliente. Ocorre a comunicação de algo que não se concretiza;
  5. Gap do Cliente: parecido com o gap anterior, o gap do cliente trata da dissonância entre o que o cliente esperava e o que ele recebeu, causando sua insatisfação.

Além dos cinco principais gaps, outro termo bastante conhecido quando se fala sobre esse assunto é gaps de competência. Abaixo, explicamos melhor do que se trata.

O que são gaps de competência?

Basicamente, gaps de competência são lacunas entre o que é esperado do funcionário para o cargo que ocupa e o que ele realmente oferece. Geralmente, esses gaps de competência são identificados pelos gestores e pelo RH, mas também podem ser identificados por outros colaboradores e, até mesmo, pelo próprio funcionário.

Quando gaps de competência são identificados, o RH atua fazendo análises e avaliações para identificar as melhores maneiras de proporcionar o aprimoramento daquele funcionário. Para tanto, podem ser oferecidos cursos, palestras, workshops, treinamentos etc.

Por que os gaps da empresa ocorrem? E o que eles causam?

As lacunas no negócio podem ocorrer por diversos motivos. Entre eles, podemos destacar:

  • Problemas para identificar as reais necessidades dos clientes;
  • Ruídos de comunicação entre cliente e empresa e entre empresa e empresa;
  • Pouco controle operacional;
  • Falta de padrões metodológicos;
  • Entre outros.

Mas, para que a empresa ofereça um serviço de qualidade para o cliente, é necessário preencher essas lacunas no negócio e eliminar os gaps. 

Os gaps da empresa podem causar uma série de problemas ao negócio, como: 

  • Divergências entre o serviço oferecido e o esperado pelo cliente;
  • Falhas de comunicação, dentro e fora da organização;
  • Problemas de imagem;
  • Perdas financeiras;
  • Diminuição da competitividade da empresa;
  • Perda de clientes.

Como identificar gaps da empresa?

Para identificar as lacunas no negócio, é necessário fazer uma análise de gaps. Por meio dessa análise, a empresa examina seu desempenho atual e compara com o desempenho esperado. Ela ainda vai servir para mostrar se a companhia está conseguindo alcançar suas metas e expectativas e se seus recursos estão sendo bem utilizados.

Ao definir e analisar os gaps da empresa, é possível, a partir disso, criar um plano de ação para acabar com as lacunas no negócio.

Existem quatro etapas na análise de gaps. Após realizar as quatro etapas, a análise termina com um relatório de compilação no qual constam as áreas de melhoria, além de um plano de ação que visa aumentar o desempenho da empresa.

As quatro etapas da análise de gaps

  • Etapa 1 (construção de metas organizacionais): A primeira etapa consiste em definir, com o máximo de precisão possível, quais são as metas organizacionais. Essas metas precisam ser bem específicas, além de realistas, atingíveis, mensuráveis e oportunas;
  • Etapa 2 (benchmarking do estado atual): Nesta etapa, deve-se medir o estado atual da organização, relacionado aos seus objetivos descritos. Para isso, são utilizados dados históricos;
  • Etapa 3 (análise dos dados de lacunas): Na terceira etapa, deve-se analisar os dados coletados, que servem para ajudar a compreender porque o desempenho atual da organização está abaixo do desejado;
  • Etapa 4 (compilação de um relatório de lacunas): Por fim, na quarta etapa, é o momento de compilar um relatório baseado nos dados quantitativos e nas razões qualitativas que levam os dados a estarem abaixo do esperado. O relatório também vai servir para identificar as ações necessárias para alcançar os objetivos da organização.

Como a análise de gaps pode ajudar?

Se existem gaps, é muito provável que a empresa não esteja utilizando seus recursos, capital, tecnologia e mão de obra da melhor forma. É aí que a análise de gaps entra, auxiliando a corporação a atingir todo o seu potencial.

Como a análise de gaps permite que a empresa entenda a situação em que se encontra e consiga comparar à situação em que deseja chegar, é possível reavaliar suas metas e objetivos, para que fique claro se ela está no caminho certo ou se precisa tomar outro rumo. 

Onde utilizar a análise de gaps?

Qualquer organização, independente do nível e tamanho que tenha, pode fazer a análise de gaps. Assim, não existe limite de áreas em que essa estratégia possa ser aplicada; mas as áreas mais comuns são:

  • Desempenho financeiro;
  • Estratégias da empresa;
  • Operacional e pessoal; 
  • Marketing e vendas;
  • Recursos humanos;
  • Controle de qualidade;
  • Satisfação do funcionário;
  • Entre outras.

Quais os benefícios de realizar uma análise de gaps?

Bom, se você ainda estiver se questionando por que fazer uma análise de gaps e quais as vantagens de descobrir os gaps da empresa, aqui vão alguns benefícios que listamos:

  1. Acompanhar, de perto e de maneira acertada, os resultados que a empresa tem obtido;
  2. Identificar qual é a principal dificuldade atualmente e definir ações para solucioná-la;
  3. Visualizar o mercado como um todo;
  4. Entender o posicionamento da concorrência para colocar-se à frente;
  5. Conseguir aproveitar todo o seu potencial;
  6. Visualizar os pontos fortes e os pontos fracos;
  7. Criar planos de ação para preencher as lacunas do negócio.

Bom, e se você deseja começar a identificar os gaps que existem na sua carreira e melhorar seu desempenho, nós podemos lhe ajudar! Acesse a imagem abaixo e solicite uma consultoria conosco!

César Romano

César Romano é apaixonado pelo desenvolvimento humano. Inspira e planeja a prosperidade de pessoas e empresas. Formado em comunicação e marketing pela PUC e especialista em gestão de pessoas.