Geração Z no mercado de trabalho: você sabe quais são os principais desafios enfrentados por essa geração e quais são as principais estratégias para retê-la na empresa? Hoje, quem deseja se destacar na empresa, independentemente de qual seja o nicho de atuação, é preciso se adaptar ao dinamismo do mercado, se capacitar constantemente, além de estar por dentro das atualidades que envolvem o cenário de sua organização.

Todas essas características estão presentes na geração Z. Porém, não são as únicas. Além disso, apesar de essas pessoas serem dinâmicas e promoverem continuamente a inovação, elas são inquietas. Nesse sentido, é papel das organizações identificar quais são as exigências que elas fazem em relação a um negócio, com o objetivo principal de reter os principais talentos.

Neste conteúdo, você vai conferir quem é a geração Z, quais são as suas principais características, além de dicas para que o negócio possa lidar melhor com essas pessoas. Continue a leitura e saiba mais!

Quem é a geração Z?

A geração Z é composta, basicamente, por pessoas que nasceram a partir de 1995. Entre as suas principais características, destaca-se especialmente o fato de que são pessoas dinâmicas, inquietas, que gostam de propor coisas novas e não têm medo de trocar de emprego quando acreditam que convém.

Além disso, elas dão preferências para organizações que oferecem flexibilidade, seja no horário, seja nas hierarquizações. Também são adeptas ao trabalho remoto, no qual se adaptam bem, além de contarem com muita intimidade com a tecnologia.

Quanto à última característica, devemos destacá-la de forma efetiva. Afinal, essas pessoas estão inseridas na primeira geração que cresceram já envolvidas em redes sociais, mesmo aquelas nascidas em 1995. Logo em 2004, por exemplo, surgiu o Orkut, enquanto determinadas ferramentas (como o ICQ), foram criadas ainda na década de 1990.

Outras características importantes da geração Z:

  • imediatistas — não gostam de esperar e, caso necessário, tomam decisões repentinas. Não pensam duas vezes caso identifiquem que precisa se desligar da organização;
  • forte tendência ao empreendedorismo — consequentemente, aspiram cargos de liderança, se aprofundando nos conhecimentos para alcançar esse objetivo;
  • independentes — o que leva a buscar por empresas que ofereçam autonomia;
  • nômades digitais — tratam-se de pessoas que gostam de rodar pelo mundo afora mesmo enquanto estão em período de trabalho. Por isso, buscam por organizações que ofereçam vagas remotas;
  • multitarefas — são autodidatas, adaptando-se ao cenário ao qual foi proposta a cumprir com os seus desafios.

Quais são as diferenças para a geração Y?

Quando mencionamos sobre a Geração Z, precisamos lembrar também sobre as diferenças existentes com a geração Y. Ou seja, aquelas pessoas nascidas entre 1980 e 1995, os chamados Millennials.

Alguns pontos merecem destaque na análise. O primeiro deles é o fato de que a geração Y costuma tolerar mais algumas condições de trabalho que não consideram favoráveis. Ou seja, enquanto a geração Z é imediatista e pede logo o desligamento, a Y pondera mais para tomar a sua decisão, fingindo aceitar o que é proposto — mesmo estando insatisfeita.

No caso da geração Z, há mais questionamentos. Além disso, essas pessoas sempre buscam bons argumentos para endossar o seu ponto de vista. Deve-se destacar, ainda, que as pessoas da geração Z não são tão movidas pelo dinheiro que nem a geração anterior. Elas são mais empreendedoras e encaram o trabalho como uma extensão de sua casa. Justamente por isso é que valorizam tanto a sua motivação e a satisfação com o trabalho feito.

Geração Z no mercado de trabalho: como atraí-la para a sua empresa?

A seguir, selecionamos algumas dicas úteis para que a sua empresa possa atrair essas pessoas e ganhar mais competitividade no mercado. Veja!

Divulgação pelas redes sociais

Conforme abordamos, essa é a geração que cresceu em volta das redes sociais. Ela é conectada e utiliza as diferentes ferramentas do dia a dia como forma de adquirir novos conhecimentos e até mesmo buscar por outras oportunidades. Por essa razão, caso você deseje atrair pessoas dessa faixa, não pode deixar de investir nesse tipo de divulgação, uma vez que esses jovens participam continuamente de fóruns, grupos de interesse e debates sobre os mais diversos temas.

Além disso, é importante ter atenção quanto ao processo seletivo, que precisa ser um pouco adaptado. O ideal é que seja feito de forma remota, assim como o regime de trabalho adotado. Hoje, especialmente depois do período da pandemia da Covid-19, há diversas ferramentas que permitem que um recrutamento seja realizado completamente online, o que contribui para que o seu negócio se adapte mais facilmente a essa realidade.

Autonomia

Oferecer autonomia para as pessoas de uma empresa traz grandes benefícios para a organização, independentemente da geração. Entre eles, destacamos:

  • aumento da produtividade, uma vez que as pessoas terão mais flexibilidade para exercer as suas demandas, sem que estejam presas em uma estrutura muito burocrática e hierarquizada;
  • agilidade nos processos, justamente por não haver necessidade de solicitar autorização para as diversas atividades que precisam ser feitas;
  • auxílio no desenvolvimento de novas habilidades, pois vai haver a necessidade de aprender certas demandas para que a execução seja efetiva;
  • melhorias para o clima organizacional e para o ambiente de trabalho como um todo.

Conforme vimos, há o pleno interesse de a geração Z estar em empresas que oferecem autonomia para as pessoas. Dessa forma, elas têm a possibilidade de inovar, de buscar por soluções para as atividades que exercem, além de ter a oportunidade de exercer o empreendedorismo, uma vez que se desenvolverão o sentimento de pertencimento.

Horários flexíveis

Por fim, elas buscam por organizações que ofereçam horários flexíveis. A geração Z não gosta de se sentir presa na execução de um trabalho. Pelo contrário. A autonomia é um bom exemplo de que ela se interessa em propor coisas novas e trazer constantes melhorias para o cenário da empresa.

Nesse sentido, a autonomia está relacionada também com o controle da própria jornada por parte do profissional. Ele é quem gosta de saber a que horas entra para o trabalho e a que horas termina, bem como o período que é mais produtivo para executar as suas demandas.

Geração Z no mercado de trabalho: como reter esses talentos?

Quando mencionamos sobre geração Z no mercado de trabalho, não devemos nos preocupar apenas com a atração de talentos. Precisamos estar atentos à retenção dessas pessoas. Como elas são imediatistas, a qualquer momento podem pedir desligamento e a sua equipe ficar desfalcada. Nesse sentido, conhecer algumas das estratégias contribuirá para que haja satisfação e motivação dos colaboradores. Veja!

Ofereça feedbacks

A geração Z não apenas gosta de feedbacks, como busca por eles o tempo todo. Trata-se do processo no qual as pessoas contribuem para que as outras possam se desenvolver, de acordo com as próprias percepções, sejam negativas, sejam positivas.

Uma cultura de feedbacks traz muitos ganhos para as pessoas envolvidas. Entre eles, destacamos:

  • colaboradores sempre alinhados com os objetivos da empresa;
  • mais produtividade da equipe;
  • motivação de colaboradores;
  • relação sólida entre lideranças e liderados, entre outros.

Para implementar essa cultura, sugerimos algumas das dicas a seguir:

  • crie um ambiente que seja propício para isso, de modo que as pessoas tenham segurança psicológica para solicitarem e ofertarem feedbacks;
  • faça elogios constantemente, especialmente quando houver algum destaque no time;
  • torne o feedback uma prática positiva dentro da equipe;
  • estabeleça momentos para avaliações individuais e também da equipe.

Preocupe-se com a diversidade

Outro ponto muito valorizado pela geração Z no mercado de trabalho é a diversidade presente nas equipes. Por essa razão, o ideal é que a sua empresa tenha um comitê de diversidade e que paute assuntos importantes a serem debatidos pela organização.

Nesse sentido, é importante contar com lideranças mais engajadas, principalmente para que o processo de recrutamento e seleção leve isso em consideração no momento de contratar novas pessoas. Também é importante diferenciar diversidade de inclusão. Apesar de haver muita confusão sobre os termos, são conceitos distintos.

Enquanto diversidade é você trazer pessoas de diferentes vivências para a empresa, inclusão é você oferecer a elas as mesmas oportunidades. Ou seja, cargos de liderança também serem ocupados por diferentes narrativas, seja de gênero, de orientação sexual, raça etc.

Pratique o reconhecimento

A geração Z no mercado de trabalho gosta de contar com autonomia, mas também se interessa pelo reconhecimento. Por essa razão, sempre que algo de interessante for feito pelas pessoas de seu time, reconheça perante a equipe, explique quais foram os pontos positivos da estratégia adotada e os impactos que isso vai trazer para a organização, tanto a curto quanto a médio e longo prazo.

Neste conteúdo, você pôde entender o que é a geração Z no mercado de trabalho, quais são as suas características, além de conferir algumas dicas para atrair e reter esses talentos. Conforme vimos, são pessoas autênticas, autônomas, empreendedoras e que gostam de receber feedbacks contínuos.

Por essa razão, prepare o seu negócio para receber esses colaboradores e sempre peça feedbacks, uma vez que o retorno desses profissionais permitirá que a organização possa propor mudanças e melhorar o ambiente de trabalho.

Se você gostou deste material e deseja conferir um outro conteúdo completo sobre feedback, continue no blog e confira mais um texto que produzimos!