• Post author:
  • Post category:Gestão

Houve um tempo em que toda organização tinha a mesma estrutura organizacional: uma hierarquia vertical, com uma pequena equipe de liderança no topo, muitos funcionários na base e outros em vários níveis no meio. Mas a hierarquia nas empresas com essa estrutura de pirâmide, com níveis diferentes de autonomia, nem sempre é a mais adequada.

Hoje em dia, em que a criatividade e a habilidade técnica de alguns trabalhadores lhes conferem igual poder à administração, alguns gestores estão tentando reformular as hierarquias nas empresas. A estrutura organizacional horizontal possui poucos ou nenhum nível de gerenciamento médio entre funcionários e fundadores, e tem sido cada vez mais utilizada nas empresas.

Evolução da hierarquia nas empresas

As hierarquias pareciam funcionar antes porque as empresas usavam processos de produção simples em mercados de baixa mudança e não havia concorrentes inovadores. Quando a produção era simples, os gerentes podiam realisticamente micro gerenciar a empresa e tratar os trabalhadores como robôs. Mas com uma produção avançada e altamente especializada, o microgerenciamento simplesmente não é possível.

Então, o papel da administração esta mudando. Mudou de “comando e controle” para sua função de criação de valor: um facilitador de produção através da coordenação, organização e suporte da operação da empresa como um todo. Com isso, a hierarquia horizontal se tornou predominante nas empresas, em especial nas startups.

O que é a hierarquia horizontal?

atual hierarquia nas empresas
A hierarquia nas empresas tem sido cada vez mais horizontal, com maior grau de autonomia para cada colaborador. 

A hierarquia horizontal, ou plana, é uma estrutura organizacional em que todos têm voz. A hierarquia horizontal não elimina a decisão final do gestor, mas abre para que outros também participem das decisões, sendo uma forma de transformar a organização em um ambiente mais respeitosos e de ajuda mútua.

É importante ressaltar que esse tipo de mudança não busca apenas manter os colaboradores felizes, mas também melhorar o desempenho da equipe e promover melhores resultados.

Assim, é possível tomar proveito máximo do potencial de cada funcionário, com impactos positivos para a produtividade da empresa como um todo.

Como fazer uma hierarquia horizontal?

Aqui estão três maneiras como os empreendedores podem instituir e manter uma estrutura organizacional horizontal e produtiva:

  • Contrate pessoas boas

Por pessoas “boas”, não quer dizer aquelas com os melhores currículos ou aquelas que podem se vender em 15 segundos durante uma entrevista. Bons colaboradores são confiáveis ​​e automotivados. Escolha pessoas que você só precisa apoiar, não monitorar.

  • Pratique gerenciamento por confiança

Incentive a confiança em seu ambiente de trabalho delegando a tomada de decisões a indivíduos ou grupos capazes e crie espaço para erros. A maneira como as pessoas se recuperam de contratempos depende de suas crenças sobre aprendizado e inteligência. Aqueles que percebem a inteligência em relação ao esforço aprendem com os erros e emergem mais fortes do que antes. Quando você confia em sua equipe para traçar seus próprios caminhos, eles se tornam mais motivados.

  • Seja transparente

Mostre suas atividades, incluindo suas falhas e problemas, e informe aos colaboradores que eles fazem parte do processo de tomada de decisões buscando seus conselhos. Você será transparente e conquistará a confiança deles também. Você não precisa compartilhar tudo, mas o sigilo e a exclusão de todos os aspectos da empresa não traz a sensação de que “estamos todo no mesmo barco”.

O sucesso de sua empresa ou equipe se resume à capacidade de todos de criar “momentos de verdade” em todas as interações. Para tornar esses momentos eficazes e valiosos, você precisa empregar indivíduos inovadores, capacitados, confiantes e responsáveis ​​- não robôs gerenciados.

rumos-carreira-consultoria-penser

O modelo Holacrático de hierarquia é uma opção?

Em 2013, CEO da Zappos, Tony Hsieh, fez o anúncio de que a hierarquia na sua empresa mudaria para um modelo que ele chama de holacrático. Essa transição foi acelerada em 2015, quando o sistema de gerenciamento foi finalmente reformulado.

Segundo ele, Holacracy é uma prática abrangente para estruturar, governar e administrar uma organização. Ele substitui o paradigma de previsão e controle top-down de hoje com uma nova maneira de obter controle distribuindo energia. É um novo “sistema operacional” que incute uma rápida evolução nos processos centrais de uma organização.”

E completa sua explicação: “Em uma cidade, pessoas e empresas são auto-organizadas. Estamos tentando fazer a mesma coisa mudando de uma estrutura hierárquica normal para um sistema chamado Holacracy, que permite que os funcionários ajam mais como empreendedores e autodirecionem seu trabalho, em vez de se reportarem a um gerente que lhes diga o que fazer.”

A Zappos identificou a autonomia individual e seu empreendedorismo como prioridade no seu desempenho e então procuraram priorizar esse método em seus negócios.

Através do uso da tecnologia, é possível centralizar elementos de comunicação e organização. A dificuldade é fazer com que esse sistema funcione de forma eficaz. Um mercado de trabalho aberto, onde as pessoas possam olhar para o trabalho disponível e gravitar em direção às tarefas que desejam participar, permite que as pessoas se concentrem nos tipos de tarefas que mais se sentem motivadas a fazer. Isso faz parte do desejo geral da Zappos de identificar os pontos fortes de cada indivíduo e utilizá-los da melhor forma possível.

Nessa palestra, Frederic Laloux, autor do livro Reinventando organizações: Um Guia Para Criar Organizações Inspiradas no Próximo Estágio da Consciência Humana, fala com mais detalhes como essa reinvenção pode transformar a forma como administramos nossos negócios.

Gostou desse conteúdo? Continue aprendendo com a gente: confira os outros artigos do blog da Penser!