Com o objetivo de se orientar melhor na carreira e contar com um bom planejamento, existe a necessidade de buscar por estratégias que contribuam para que uma melhor rotina e para um foco maior durante a execução de suas atividades. Nesse contexto, o mapa mental se destaca. Trata-se de um tipo de diagrama em que as ideias são organizadas sobre um tema em específico, de modo que haja uma representação visual sobre o que deve ser feito.

Se você nunca ouviu falar sobre o tema, não se preocupe. Elaboramos este material para trazer mais detalhes sobre o que significa o mapa mental, quais são os benefícios de utilizá-lo, além de conferir mais informações para aplicá-lo em seu dia a dia. Continue a leitura e saiba mais!

O que é o mapa mental?

Primeiro, é importante entendermos do que se trata o mapa mental. Conforme mencionamos, trata-se de um diagrama. Ele é confeccionado a partir de uma ideia central, que vai sendo ampliada por diversos ramos. Todas essas ramificações são desdobramentos da ideia inicial.

A ideia foi sistematizada pelo pesquisador Tony Buzan, autor do livro Mapas Mentais. Tony é psicológico e, devido aos seus estudos, conseguiu elaborar alguns dos principais requisitos para o armazenamento de informações. Entre outros ganhos que o método traz para o dia a dia (que aprofundaremos mais adiante), podemos destacar:

  • melhor gestão do conhecimento, uma vez que vai haver a documentação das ideias;
  • entendimento sobre os problemas que levam ao não cumprimento de determinada atividade;
  • melhor memorização do que precisa ser feito, bem como as demandas que precisam ser cumpridas;
  • oportunidade de realizar um brainstorming, entre outros.

Para que serve

Se perguntarmos para que serve o mapa mental, podemos cair nas mais diversas respostas. Afinal, qualquer atividade que precisa ter uma organização mais precisa das ideias pode ser beneficiada por utilizar o método em questão.

Caso você necessite fazer um resumo sobre determinado contexto para apresentar a outras pessoas, por exemplo, tem a oportunidade de identificar a ideia central do mapa mental e, então, desdobrá-la em outros tópicos para facilitar a sua explicação.

Além disso, é importante levar em consideração que o mapa mental funciona por meio de palavras-chave. Exemplo: suponhamos que você acabou de ler uma obra que aborde sobre desenvolvimento de carreira. Nela, um dos tópicos abordados foi o PDI como principal pilar para o crescimento do profissional. Ou seja, PDI será o mote central, sendo a palavra-chave principal de seu mapa mental. Simples, não é verdade?

Como criar um mapa mental?

Não há necessariamente uma receita de bolo para criar um mapa mental. Claro, existem recomendações e dicas para que as suas funções e objetivos sejam usufruídas com mais facilidade. Portanto, não existe propriamente um jeito certo ou errado de ser feito, uma vez que vai depender da capacidade de memorização e do uso feito pela pessoa.

Ficha em branco

O primeiro passo é pegar uma ficha em branco para que você possa colocar no papel (literalmente) as suas ideias. Uma folha A4 é o ideal, mas também pode ser uma página de caderno. É importante que ela esteja virada na horizontal, de modo que você possa colocar um conteúdo marcante no centro. No exemplo que citamos, seria o ponto onde ficaria localizada a palavra-chave PDI.

Visual

É importante que o mapa mental seja visual. Quanto mais dados que possibilitem você colocar em prática suas ideias, melhor. Eles podem ser dispostos por meio de gráficos, estudos colhidos, entre outros. Quanto mais elementos, melhor.

Precisamos levar em conta que a gente tem a capacidade de armazenar informações de forma muito melhor se tiver visualmente atrativo. Você conseguirá identificar, tempos depois, quais foram as ações pensadas para desenvolver o seu PDI ao lembrar do mapa mental, além de lembrar em qual momento da estratégia está e o que precisa desenvolver – voltando, novamente, ao nosso exemplo.

Palavras-chave adequadas

Novamente, reforçamos a ideia de que é essencial trabalhar as palavras-chave de seu mapa mental, principalmente aquela principal. É por meio dela que você vai ramificar as suas ideias e conseguir elaborar ações para chegar ao seu objetivo. Também será a responsável por realizar todas as outras conexões – por isso, é considerada a principal.

Um erro comum cometido pelas pessoas é o de elaborar um mapa mental que seja muito amplo. Além de você não conseguir abstrair toda a ideia necessária para realizar as suas ações, existem os riscos de você planejar desenvolver muitas demandas, o que não seria viável para a sua rotina.

Suponhamos que uma pessoa deseja se planejar melhor para encontrar um emprego em sua área de atuação. Se ela estender muito o seu mapa, pode se perder no próprio plano, o que geraria desmotivação e frustração.

Organização

A organização do mapa mental deve ser uma das prioridades para quem está começando a elaborá-lo. Se você o fizer de forma bagunçada, dificilmente conseguirá aprender o processo da forma como deveria. Outro ponto negativo de não ter uma boa organização é que você dificilmente terá a certeza de que todas as informações estão presentes.

Faça tópicos

Mapa mental serve, principalmente, para memorizar de forma simplificada a ideia que você deseja colocar em prática. Caso faça textos em vez de tópicos, as chances de atingir esse objetivo diminuem consideravelmente, uma vez que você não conseguirá decorar tudo o que colocará no papel.

Quais os benefícios do mapa mental?

Agora que você já sabe como realizar o mapa mental, chegou o momento de trazermos os principais benefícios de elaborar um. Veja!

Melhora a organização nas mais diversas esferas da vida

O primeiro ganho é que melhora a organização nas mais diversas esferas da vida. Como vimos, o mapa mental pode ser utilizado em diferentes contextos, desde o aprendizado de um livro que acabou de ler até a definição de atividades para conseguir um novo emprego.

Nesse sentido, ao adotar por esse método, o foco para as demandas será muito maior. Você não se sentirá perdido com a rotina que deve ser cumprida, além de reduzir uma longa lista de afazeres em tópicos que resumem uma ou mais práticas necessárias para o seu objetivo.

Consequentemente, desenvolver qualquer processo se torna muito mais visual. Você entenderá em qual etapa está do planejamento e terá facilidade para fazer correções de rota caso ela se torne necessária.

Auxilia a memorização

Como dissemos, o mapa mental tem como um dos principais objetivos facilitar a memorização. Se você vai prestar um concurso e precisa entender na ponta da língua determinada matéria ou processo, é uma oportunidade de colocar no papel toda a matéria de forma resumida – sem que, para isso, precise escrever longos textos.

Melhor desenvolvimento de ideias

Também possibilita um melhor desenvolvimento de suas ideias sempre que precisar começar um novo projeto. Exemplo: uma pessoa recebeu como desafio estruturar uma área de Marketing na empresa onde trabalha. Como ela vai começar a pensar em todas as atividades que devem ser feitas, todos os cargos que precisa trazer para o time e quais são as metas e indicadores que precisa acompanhar?

Em vez de extensos relatórios, o mapa mental contribui para que haja um melhor alinhamento do que precisa ser feito com o que ainda não foi colocado em prática no negócio. Quando estimulamos uma visão mais ampla do que é preciso ser feito, conseguimos compreender de forma mais abrangente os desafios, além de desenvolver as ideias de maneira mais prática.

Mais bem-estar emocional

Certamente você já passou por uma alguma situação em que se sentiu frustrado por não conseguir colocar em prática determinada ideia. Muitas vezes, ficamos travados para começar a desenvolver uma ideia ou uma demanda – o que resulta em procrastinação.

Como o mapa mental contribui para um melhor desenvolvimento das atividades, naturalmente estimula um bem-estar emocional. Dessa forma, vai reduzir o estresse, aumentar a autoestima, além de impactar até mesmo as relações pessoais, justamente por ter a tranquilidade de que o que precisa ser executado está sendo feito – ou planejado.

Quais ferramentas utilizar para o mapa mental?

Algumas ferramentas podem ser muito úteis para começar a colocar em prática o seu mapa mental. Inclusive, muitas delas são online e gratuitas. Confira, a seguir, algumas das que selecionamos:

  • Coogle — essa primeira opção é online e gratuita. Entre os diferenciais que a ferramenta oferece, destaca-se principalmente a possibilidade de realizar o compartilhamento de mapas mentais, o que contribui para que times e equipes possam compartilhar suas percepções e apresentar ideias inovadoras, discutindo-as logo em seguida;
  • MindMup — assim como a Coogle, a MindMup também possibilita o compartilhamento de informações com outras pessoas. Outro diferencial que deve ser destacado é o fato de ele ser compatível com o Google Drive. Se você já é adepto a essa solução, certamente se adaptará melhor à ferramenta. Também é disponível na versão online e gratuita. Porém, com algumas limitações: a versão completa é paga;
  • Bubbl.us — da mesma forma que a MindMup, conta com a versão gratuita contendo algumas limitações. Na versão paga, o cliente opta pelo plano mensal, sendo considerada uma ferramenta significativamente mais barata que as suas concorrentes. Entre os diferenciais, destaca-se a possibilidade de incluir cores, bem como permite a edição coletiva da equipe;
  • Creately — no caso da Creately, um dos principais diferenciais é a oportunidade de contar com vários modelos de diagrama, que são utilizados de acordo com a necessidade de cada pessoa. Conta com 5 disponíveis na versão gratuita e diversas outras versões na paga. Conta com funcionalidades interessantes, como a possibilidade de arrastar e soltar, além de permitir criar mapas que facilitam o desenvolvimento das ideias.

Como vimos, há muitas opções para que você crie mapas mentais sem nem precisar recorrer a um papel A4. Cada uma delas tem suas vantagens e é indicada para contextos específicos. Se você deseja recorrer a ferramentas encontradas na internet, o ideal é que entenda a sua realidade e opte por aquela que melhor atenda o desenvolvimento de suas ideias.

Neste conteúdo, você pôde entender o que é o mapa mental, quais são os seus diferenciais, além de conferir dicas de como elaborá-lo. Assim como em qualquer outro uso de metodologias, é indicado que você entenda bem como funciona, conheça as características e fique por dentro de alguns erros comuns cometidos pelas pessoas ao elaborá-lo.

No caso do mapa mental, por exemplo, não seguir uma organização radial, não ter categorias bem definidas e misturar palavras-chave com imagens em uma mesma linha são alguns dos equívocos que devem ser evitados.

Se você deseja ter uma mentoria mais precisa para a sua carreira, bem como estruturar melhor as suas atividades pessoais e profissionais, não deixe de entrar em contato com a gente, conhecer a Penser e ficar por dentro de como ajudamos pessoas a destravarem suas qualidades. Até a próxima!

César Romano

César Romano é apaixonado pelo desenvolvimento humano. Inspira e planeja a prosperidade de pessoas e empresas. Formado em comunicação e marketing pela PUC e especialista em gestão de pessoas.