Nike Pas Cher Homme
Nike Pas Cher France
yamaha fairings
cheap motorcycle fairings
cheap jordan retro 11
cheap jordan 13
cheap jordan 7
Gestão Remota de Equipes

Você já ouviu falar em matriz SWOT? Trata-se do resultado da análise SWOT, também conhecida como análise FOFA, uma ferramenta bastante conhecida de administração estratégica. Embora seja baseada em um conceito relativamente simples, a matriz SWOT pode trazer excelentes resultados, quando feita e aplicada da maneira correta. 

Portanto, se você quiser saber como funciona a análise FOFA e, ainda, como montar uma matriz SWOT corretamente, continue acompanhando este texto.

O que é análise SWOT?

A análise SWOT, ou análise FOFA, está dentro da Gestão do Desempenho Empresarial. Ao mesmo tempo que se configura como uma das ferramentas mais simples, é extremamente útil para entender acerca da situação atual e fazer projeções para o futuro baseando-se na captação de informações importantes.

O termo SWOT é a sigla para as palavras inglesas Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats, que significam, respectivamente, Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, formando a sigla FOFA em português.

A Matriz SWOT contém uma avaliação da empresa, considerando suas forças e fraquezas (fatores internos) e também as oportunidades e ameaças que possui (fatores externos).

Entenda melhor, abaixo, o que significa cada quadrante de uma matriz SWOT.

Os 4 quadrantes da matriz SWOT

A matriz SWOT é considerada uma ferramenta relativamente simples, mas não deixa de ser adequada para fazer um bom Planejamento Estratégico. Ela serve tanto para posicionar, como para verificar o posicionamento da empresa em sua área de atuação. Lembrando que a matriz SWOT pode ser utilizada para realizar qualquer tipo de análise de qualquer cenário ou ambiente, abarcando pequenas e grandes empresas ou aspectos da vida pessoal.

Para entender como colocar a análise FOFA em prática e fazer uma matriz SWOT de sucesso, é preciso compreender o conceito por trás de cada um de seus quadrantes.

S (strengths ou forças)

Como o próprio nome revela, neste quadrante devem ser listadas as forças internas, ou seja, as vantagens que a empresa possui em relação às empresas concorrentes. Algumas das perguntas abaixo podem ajudar a pensar nas forças:

  • Por que os clientes escolhem seu negócio?
  • Qual é a sua maior vantagem competitiva?
  • Quais são os seus melhores processos e atividades?
  • Quais são os seus melhores produtos?
  • E os seus melhores recursos?

W (weaknesses ou fraquezas)

Neste quadrante, é necessário fazer o oposto do que foi feito no quadrante anterior. Nele, deve-se pensar nas fraquezas internas da organização, ou seja, as desvantagens que possui em relação aos concorrentes. Pense quais são as fraquezas que prejudicam o negócio de alguma maneira.

Perguntas que podem ajudar a pensar:

  • Os funcionários são bem capacitados?
  • As matérias-primas têm boa qualidade?
  • Os processos são confiáveis?
  • Você conhece bem a sua concorrência?
  • Quais são seus maiores gastos?

O (opportunities ou oportunidades)

As oportunidades são os aspectos que possuem potencial para fazer a empresa crescer, ou seja, forças externas que podem influenciar o negócio de maneira positiva. Lembrando que, diferente das forças e fraquezas, as oportunidades, assim como as ameaças (veremos mais abaixo) são fatores externos, por isso, não há como influenciar estes aspectos. Contudo, é muito importante conhecê-los para que a empresa esteja preparada para aproveitar cada oportunidade. Confira algumas perguntas que podem ajudar a reconhecer oportunidades:

  • Existe alguma redução de impostos temporária que pode ser benéfica?
  • Está acontecendo algum evento cultural ou esportivo na região que possa ser aproveitado?
  • Há alguma política pública de ampliação de crédito que possa ajudar a melhorar suas vendas?

T (threats ou ameaças)

Por fim, temos mais um fator externo: as ameaças. Elas são o oposto das oportunidades, já que podem prejudicar o planejamento estratégico e os resultados da empresa. Por isso, elas devem ser observadas e tratadas com cuidado. 

Neste quadrante, observe, também, as perguntas anteriores acerca do cenário econômico, mas olhe pela ótica negativa:

  • Há alguma nova política de tributação que possa afetar sua margem de contribuição?
  • Tem algum concorrente entrando em seu mercado que mereça atenção?
  • A variação cambial pode afetar a importação de matérias-primas, tornando-a pouco viável?

Matriz SWOT: visão do ambiente interno X ambiente externo

Como vimos acima, os quatro quadrantes se dividem em duas óticas: ambiente interno e ambiente externo.

Ambiente interno

Quando analisamos as forças e as fraquezas, estamos analisando fatores do ambiente interno, que, por isso, podem ser gerenciados pela empresa, diferente dos fatores do ambiente externo.

Dentro do ambiente interno é possível controlar vários aspectos da empresa, como sua capacidade intelectual, recursos tecnológicos, cultura organizacional, ações de comunicação e marketing, etc. 

Se a empresa conhece suas forças, pode trabalhar para mantê-las e torná-las cada vez mais fortes. De forma semelhante, ao conhecer suas fraquezas, pode agir para corrigi-las e evitá-las. Dentro da análise de forças e fraquezas, é preciso avaliar aspectos, como:

  • Reputação;
  • Tempo de mercado;
  • Localização;
  • Recursos financeiros;
  • Recursos humanos;
  • Gestão;
  • Criação e produção;
  • Materiais, equipamentos, imóveis, etc.;
  • Comunicação/marketing;
  • Tecnologia;
  • Acesso à matéria-prima;
  • Atendimento;
  • Relacionamento estratégico com outras empresas.

Ambiente externo

Dentro da perspectiva do ambiente externo, encontram-se as oportunidades e as ameaças, que são fatores externos à organização. Embora não tenha como manipulá-los diretamente, é preciso conhecê-los e monitorá-los, para saber como aproveitar as oportunidades e como lidar com as ameaças. 

No ambiente externo encontram-se questões relacionadas à concorrência, crises econômicas, política, mudanças de legislação, taxas de juros, desastres ambientais, etc.

A análise FOFA do ambiente externo envolve o microambiente e o macroambiente. 

Microambiente

Dentro do microambiente encontram-se questões do setor de atividade da empresa, como:

  • Clientes, que envolve seu comportamento, poder de negociação e troca, etc.;
  • Concorrentes (quantidade em sua região, seu relacionamento com eles, nível de rivalidade);
  • Fornecedores (poder de negociação de ambos);
  • Entidades de classe, que envolve a maneira como estão organizadas e se têm poder de pressão.

Macroambiente

O macroambiente, por sua vez, é mais abrangente, e se refere a tudo que está além da empresa e de seu segmento. Nesse sentido, é importante analisar questões econômicas, tendências sociais, etc., e como podem influenciar seu negócio. Alguns aspectos a serem observados são:

  • Economia: inflação, renda populacional, consumo;
  • Política e legislação: novos governantes, projetos de lei, correntes ideológicas;
  • Sociedade e cultura: costumes, valores, hábitos de consumo;
  • Demografia: crescimento da população, taxa de natalidade e nível de escolaridade;
  • Tecnologia: surgimento de novas tecnologias e processos operacionais;
  • Meio ambiente: desastres naturais, poluição, escassez de matéria-prima.

Como criar uma matriz SWOT?

Para montar sua matriz SWOT, você vai precisar criar uma planilha no Excel ou, até mesmo, usar uma cartolina, e dividi-la em quatro quadrantes. Em cada um deles, você deve listar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

Depois disso, a grande sacada está em cruzar as informações e pensar em planos de ações para aproveitar as forças e as oportunidades e para reduzir as fraquezas e as ameaças.

Para facilitar, separamos, abaixo, um passo a passo do que deve ser feito:

  1. Comece fazendo um brainstorm com sua equipe;
  2. Analise os fatores internos;
  3. Analise os fatores externos;
  4. Monte sua matriz SWOT;
  5. Transforme a análise FOFA em estratégia.

1. Comece fazendo um brainstorm com sua equipe

O primeiro passo da análise FOFA é reunir a equipe para discutir pontos e fazer o levantamento de informações. Adote o modelo de brainstorming e deixe a conversa livre. Como falamos diversas vezes, a análise SWOT não é uma ferramenta trabalhosa, por isso, não encare esse brianstorm como uma pesquisa profunda. A intenção é que seja feita uma análise mais ágil. Procure captar as percepções do que ocorre no dia a dia do negócio e só depois, se preciso, aprofunde a pesquisa. Seja bastante realista nessa etapa para não ter problemas com os resultados finais.

2. Analise os fatores internos

A análise FOFA começa olhando para dentro do próprio negócio, observando as primeiras letras da sigla: forças e fraquezas. Como dito acima, os fatores internos são de controle da empresa e, por isso, são mutáveis. Se a análise identificar a localização como uma fraqueza, por exemplo, é possível mudar a sede para outro local, diferente do que acontece com fatores externos.

Lembrando que as forças e fraquezas determinam se a empresa está em vantagem ou desvantagem em relação à concorrência. Como podem surgir diversas características, você pode analisar o mais importante, que são os fatores-chave de sucesso. Identifique os atributos essenciais para o mercado no qual a empresa está inserida e qual é sua situação em relação a esses atributos.

3. Analise os fatores externos

Depois de analisar os fatores internos, deve-se analisar os fatores externos – as duas letras restantes: oportunidades e ameaças. Identifique esses fatores, como podem impactar seu negócio e, depois, pense em como vai lidar com eles. Embora não seja possível controlá-los diretamente, é certo que as empresas atentas às movimentações externas estão mais preparadas para agarrar oportunidades e lidar com adversidades. Lembrando que, dentro dos fatores externos, devem ser analisados o micro e o macroambiente.

4. Monte sua matriz SWOT

Depois de fazer um brainstorm e anotar todas as informações levantadas, é hora de resumir. A matriz SWOT deve ser montada com objetividade, proporcionando uma visualização rápida de todas as informações necessárias. Por isso, evite frases muito longas. Selecione o que for mais relevante e escreva em tópicos sucintos, em ordem de relevância. 

Nos quadrantes superiores da matriz, coloque os fatores internos (forças e fraquezas), e, nos quadrantes inferiores, coloque os fatores externos (oportunidades e ameaças). Posicione os fatores positivos (forças e oportunidades) à esquerda, e os pontos negativos (fraquezas e ameaças) à direita, como pode ser observado na imagem abaixo. Dessa maneira, será possível visualizar de maneira mais clara o que é preciso analisar, cruzar as informações e, depois, pensar em estratégias.

analise swot

5. Transforme a análise FOFA em estratégia

Após construir sua matriz SWOT, já é possível tirar algumas conclusões. Pense se, diante das fraquezas e das ameaças, será possível realizar o projeto que você tem em mente. Muitas vezes, a matriz SWOT vai servir para mostrar que ainda não é o momento de tirar o projeto do papel ou que ainda é preciso melhorar em determinados pontos.

No entanto, se a análise FOFA revelou que o projeto é viável, pode ser a hora de colocá-lo em prática, certo? A partir das informações contidas na matriz SWOT, trace estratégias para o projeto. Basicamente, use as estratégias para atingir os seguintes objetivos:

  • Potencializar forças;
  • Controlar ou corrigir fraquezas;
  • Aproveitar oportunidades;
  • Minimizar ameaças.

Contudo, é importante ir além da visualização individual de cada quadrante na criação de estratégias. Os quadrantes se relacionam entre si e podem ajudar a atingir os objetivos listados acima. Use a matriz SWOT para cruzar as análises. Você pode fazer as seguintes relações:

  • Forças + oportunidades: como as forças da empresa podem maximizar as oportunidades?
  • Forças + ameaças: como as forças podem minimizar as ameaças?
  • Fraquezas + oportunidades: como as fraquezas podem ser corrigidas para aproveitar as oportunidades?
  • Fraquezas + ameaças: como as fraquezas podem ser corrigidas de modo a minimizar as ameaças?

Nesse momento, você pode focar em estratégias mais superficiais e, posteriormente, detalhar as ações.

Onde utilizar a matriz SWOT?

Você pode tanto fazer uma matriz SWOT profissional, como uma matriz SWOT pessoal. Se você quer realizar um novo projeto seja pessoal ou profissional, a análise FOFA pode ajudar, pois, ao avaliar os cenários, o projeto tem mais chances de sucesso. Ao fazer uma matriz SWOT, você analisa melhor a situação antes de tomar uma decisão importante, afinal ela envolve a análise de interesses, objetivos, prós, contras, etc.

Não à toa, a análise FOFA é utilizada como base para a gestão, sendo uma maneira prática – e visual – de enxergar o cenário. E, sempre que desejar realizar um novo projeto, vale a pena revisar alguns pontos de sua matriz SWOT, para garantir que as informações estejam sempre atualizadas. 

Aproveite para baixar gratuitamente nosso material sobre organização de metas e objetivos. Para acessar, basta clicar aqui!

César Curi

César Romano é apaixonado pelo desenvolvimento humano. Inspira e planeja a prosperidade de pessoas e empresas. Formado em comunicação e marketing pela PUC e especialista em gestão de pessoas.
Fechar Menu
Nike Pas Cher Homme
Nike Pas Cher France
yamaha fairings
cheap motorcycle fairings
cheap jordan retro 11
cheap jordan 13
cheap jordan 7