No mundo dos negócios e da gestão, existe a necessidade de buscar por métodos e teorias que possam ser aplicadas para melhorar processos e contribuir para resultados mais atrativos. A pirâmide de Maslow é um desses pontos. Também conhecida como Teoria das Necessidades Humanas, a primeira vista pode parecer uma representação das próprias necessidades. No entanto, quando é conhecida a fundo e aplicada em diferentes contextos, se transforma em uma importante ferramenta.

Neste conteúdo, a gente explica mais detalhes sobre o que é a Pirâmide de Maslow, qual é a importância de conhecê-la, além de explicar como é a hierarquia das necessidades humanas, de acordo com a teoria. Continue a leitura e tire suas dúvidas!

O que é a Pirâmide de Maslow?

Conforme abordamos, a Pirâmide de Maslow também é conhecida como Teoria das Necessidades Humanas. É um estudo da psicologia, elaborado pelo profissional norte-americano Abraham Maslow. O objetivo foi separar, de maneira hierárquica, quais são as principais necessidades que uma pessoa pode ter.

De acordo com o estudioso, os seres humanos vivem e trabalham para satisfazerem as suas necessidades. Nesse sentido, eles buscam em diferentes momentos conquistar a plena auto realização. Com o intuito de alcançar esse patamar, existe a necessidade de suprir distintos níveis de demandas, que vão desde os elementos essenciais para a sobrevivência até as questões de autoestima e socialização.

Como há uma hierarquia, as pessoas só passarão para as próximas necessidades quando, enfim, suprirem aquela que é prioritária.

Importância da Pirâmide de Maslow

Em diversas situações de carreira ou do próprio negócio, entender o comportamento humano contribuirá para que haja estratégias mais concretas e efetivas. Entenda: suponhamos que a área de Recursos Humanos de uma organização tem como principal problema controlar os índices de turnover (saída de colaboradores do negócio). Quando há a identificação de quais são as principais necessidades, fica mais fácil entender os potenciais motivos que levam os profissionais a saírem da empresa.

O que seria muito complexo, uma vez que o comportamento humano conta com muitas complexidades, se torna um pouco mais palpável para traçar ações que de fato serão aplicadas na realidade do negócio. No entanto, é preciso ter um cuidado ao adotar a teoria. Apesar de existirem padrões, é preciso analisar a realidade do negócio, entender que cada casa é um caso e identificar quando uma estratégia não é aplicada em determinadas situações.

Abraham Maslow

Para nos aprofundarmos no conceito da Pirâmide de Maslow, é essencial que conheçamos o psicólogo que está por trás da criação. É natural que muitas pessoas já tenham tido contato com a metodologia, mas sem saber ao certo quem foi Maslow.

Como explicamos, Abraham foi um psicólogo norte-americano que esteve muito presente nos estudos da psicologia moderna, o que chamamos de humanista. Formado em direito, se interessou pela área e decidiu seguir os seus estudos, abandonando em partes o que seria a sua profissão inicial.

No ano de 1954. publicou uma obra que já trouxe uma introdução da hierarquia das necessidades: A Theory of Human Motivation. Mas qual é a origem desse estudo? De acordo com o autor, a partir da observação dos macacos. Ele afirma que os animais fazem escolhas comportamentais com base nas necessidades pessoais. A partir disso, o pesquisador concluiu que os humanos também satisfazem suas necessidades pessoais em diferentes níveis.

Como a Pirâmide de Maslow se relaciona com a motivação de profissionais?

Em uma organização, é preciso manter a equipe engajada para que possa contar com bons resultados, menores custos e manter uma boa imagem perante o mercado. Porém, de acordo com um estudo elaborado pela Gallup, apenas 27% dos colaboradores no país são ativamente engajados, enquanto 15% são ativamente desengajados. Ou seja, desestimulam seus colegas.

Nesse sentido, a Pirâmide de Maslow pode funcionar como uma importante aliada, uma vez que vai trazer mais base para que a área de Recursos Humanos possa pensar em ações para satisfazer as necessidades do time de acordo com a hierarquia das motivações.

Mais à frente, traremos qual é a hierarquia das necessidades. Todas as pessoas precisam de ter um local para dormir e para comer. Porém, se trabalharem apenas para isso, naturalmente não se sentirão motivadas a exercerem suas funções com tanto afinco para trazer inovação e novas ideias. Justamente por isso é que existem os benefícios. Plano de saúde, vale-alimentação, vale-cultura, day off no aniversário, entre outros ganhos que a pessoa terá caso faça parte de seu time de profissionais.

Também é importante estabelecer atividades que valorizem as necessidades sociais, como eventos, happy hours etc., além de aplicar metodologias que supram as necessidades de autoestima, como feedbacks. No caso das avaliações de auto realização, podemos aplicar aos treinamentos e capacitações.

Quais são as necessidades humanas de acordo com a Pirâmide de Maslow?

Apesar de já termos pincelado sobre as principais necessidades humanas, a seguir explicamos mais detalhes sobre elas. Confira!

1. Necessidades fisiológicas

Como explicamos, as pessoas trabalham para comer e para beber. Porém, não apenas para isso. Quanto ao comer e beber, estamos nos referindo às necessidades fisiológicas, aquelas mais básicas para a sobrevivência humana.

Antes de pensar em viajar pelo mundo, de adquirir bens materiais e imóveis, é preciso, antes, ter tranquilidade de que vai:

  • saciar a fome e a sede;
  • garantir o equilíbrio do organismo (controle da temperatura corporal em dias frios, por exemplo);
  • manter a qualidade de sono e digestão;
  • ter onde morar.

Caso a pessoa não consiga alcançar essas necessidades, dificilmente conseguirá pensar em outros projetos e sonhos.

2. Necessidades de segurança

Quando o autor menciona sobre necessidades de segurança, não está se referindo apenas à segurança física. Também é importante e está presente, mas vai muito além do que estar protegido de alguns perigos da sociedade.

Outros tópicos que se enquadram nesse cenário, são:

  • segurança do corpo contra ameaças físicas — acidentes, por exemplo. Justamente por isso é que uma pessoa, em grande parte das vezes, não faz uma ultrapassagem em uma curva;
  • segurança de saúde — aqui, há o interesse do ser humano em buscar por alternativas que tragam tranquilidade para imprevistos, como planos de saúde. Também se encaixa a necessidade de manter hábitos saudáveis;
  • segurança no emprego — o interesse das pessoas em busca por estabilidade, ter um plano de carreira ou contar com um serviço que tenha renda garantida;
  • segurança na família — por essa razão, muitas pessoas buscam por um seguro de vida, de modo que as pessoas que dependem delas estejam asseguradas em caso de óbito;
  • segurança da propriedade — a busca por casa própria, segurança pública, seguros de bens, entre outros.

3. Necessidades de amor e de relacionamento

A necessidade de amor e relacionamentos não se encaixa apenas em encontrar a pessoa certa. Aqui, se enquadra também as relações sociais. Por essa razão, mencionamos sobre a importância de as empresas oferecerem momentos de integração, como happy hour.

Esse é o terceiro nível proposto pelo autor, no qual a pessoa vai buscar intimidade das relações, afeto e senso de pertencimento. Ela quer ser aceita em diferentes espaços. Nesse sentido, alguns pontos que se encaixam nessa hierarquia, são:

  • amizades confiáveis e próximas;
  • ter boas relações familiares, sendo aceita da forma como elas são;
  • busca por relacionamentos amorosos satisfatórios;
  • intimidade sexual;
  • pertencimento a diferentes grupos, desde equipes esportivas a grupos de amizades e de trabalho.

A necessidade do ser humano, nesse nível, é ser aceito. Ele deseja ter relações recíprocas. Ou seja, se oferece carinho a determinada pessoa, deseja receber o mesmo. Se ama uma pessoa, deseja ser amado.

4. Necessidades de estima

Por que nos preocupamos em estarmos bem com a gente mesmo? No trabalho, por que gostamos de ser reconhecidos pelo bom desempenho ao longo dos meses? Justamente pelas necessidades de estima. Não queremos apenas criar vínculos com as pessoas, mas também queremos ser valorizados.

Não basta eu ter boas relações no meu trabalho se em momento algum essas pessoas reconhecem que eu faço a diferença na equipe. Nesse sentido, é importante ter uma cultura de feedback sólida, contar com avaliações periódicas e ter lideranças que incentivam no crescimento de acordo com as suas próprias percepções.

Nesse estágio, a pessoa busca, basicamente, construir a autoconfiança e garantir o respeito de outros indivíduos.

5. Necessidade de realização pessoal

Outro nível de necessidades de seres humanos é a de realização pessoal. Ela está no topo da Pirâmide de Maslow e podemos identificar os desejos pelo sucesso pessoal e profissional.

Alguns aspectos podem ser incluídos nesse nível, como:

  • ter mais coerência com os próprios valores e princípios. Ou seja, dificilmente vamos querer estar em um espaço onde não somos aceitos ou que as pessoas têm visões tão distintas das nossas;
  • independência para tomar as próprias decisões;
  • contar com uma rotina que contribua para o próprio desenvolvimento e para que sejamos mais criativos;
  • ter autoconhecimento para analisar quais são os meus objetivos, defeitos e virtudes;
  • espontaneidade;
  • autonomia, entre outros.

E então, o que achou de conhecer a Pirâmide de Maslow? Se você gostou deste material e deseja entender como é possível alcançar as suas necessidades humanas de forma mais prática, conheça a Penser e saiba como podemos te ajudar!

 

Deixe um comentário