profissional busca serendipidade em seu ambiente de trabalho
A serendipidade é capaz de levar a grandes produtos, ideias e inovações. Mas, para utilizá-la, é preciso entender o significado de serendipidade e ver exemplos de como funciona na prática.

Conhecimento está em tudo que vivemos, concorda? Assim como um acerto, um erro pode nos trazer inúmeros aprendizados. O conhecimento que adquirimos ao longo da vida fica armazenado em nosso cérebro, que funciona como uma biblioteca onde buscamos resultados passados que nos ajudam a resolver problemas presentes. Muitos desses aprendizados acontecem de forma inesperada, e é aí que mora o conceito de serendipidade.

Qual o significado de serendipidade?

A serendipidade significa uma descoberta não prevista e cujo resultado se deu por meio do acaso, através de incidentes que criam oportunidades ou que fazem surgir ideias e inovações incríveis. Contudo, ela não se trata apenas de uma casualidade ou de boa sorte: a serendipidade é a soma do acaso com o conhecimento adquirido. 

Por meio da serendipidade (ou serendipity, em inglês), é possível fazer descobertas que não estavam previstas e que podem ser muito úteis. São circunstâncias que, mesmo inesperadas, não deixam de ser interessantes e agradáveis.

Atualmente, atribuímos o conceito de serendipidade a uma forma especial de criatividade ou, ainda, à uma técnica para desenvolver o potencial criativo de uma pessoa, aliada à inteligência, perseverança, persistência e capacidade de observação. 

Quais são exemplos de serendipidade?

O daguerreotipo, o primeira processo fotográfico comercializado em escala, é um ótimo exemplo de serendipidade. Fonte: Wikipedia.

Ao longo do tempo, diversos estudiosos passaram a usar a palavra serendipidade para caracterizar várias descobertas famosas na história do mundo. Muitas invenções ocorreram por causa da serendipidade, em que cientistas buscavam um resultado, mas acidentalmente encontraram outro. Os fornos de microondas e os raios X, por exemplo, surgiram dessa forma. Existem vários outros exemplos famosos além desses, como o caso de Louis Jacques Mandé Daguerre.

Daguerre é o inventor da fotografia. Após várias tentativas de fixar a imagem no papel, frustrado por não conseguir obter resultados satisfatórios, Daguerre jogou uma de suas chapas em um armário e esqueceu-se dela. Dias depois, procurando alguns produtos químicos nesse mesmo armário, ele se deparou com aquela placa jogada. Mas, para sua surpresa, havia uma imagem impressa nela, que antes não estava lá.

Sem entender, procurou descobrir como aquilo tinha sido possível, já que ele tinha tentado antes com tantos elementos químicos. Desconfiou que havia sido por causa do mercúrio de um termômetro que estava quebrado. Fez alguns testes e o resultado foi o daguerreótipo, o primeiro processo fotográfico a ser anunciado e comercializado ao grande público. E, assim, esse caso de serendipidade foi responsável por apresentar ao mundo a fotografia!

Serendipidade não significa aleatoriedade

Para muitas pessoas, a serendipidade é apenas sorte. Contudo, é importante enxergá-la como o efeito ou resultado de algo que vem com base em um conhecimento prévio já adquirido. Afinal, sem o conhecimento adquirido, Daguerre jamais teria descoberto que o mercúrio era responsável pela fixação da imagem na tela.

A grande questão atrelada à serendipidade, e o segredo que precisamos entender, é que devemos estar preparados para absorver “o acaso” e reconhecer as oportunidades, transformando isso em algo útil para nós ou para os outros.

Por isso, passar por um caso de serendipidade não é a mesma coisa que viver o destino ou o acaso. Daguerre estava procurando maneiras de fixar a imagem no papel: ele tinha uma meta e teve a capacidade de captar a oportunidade, interpretando e analisando outras informações com base em seu conhecimento prévio.

Esse conceito de serendipidade é incrível, pois nos ajuda a transformar simples coisas do dia a dia em uma descoberta fantástica. É usar toda a sua bagagem cultural e todo o seu conhecimento para transformá-los em uma ou em várias novas ideias.

O ponto aqui não é ficar o tempo todo procurando encontrar algo inovador, é confiar que a sua bagagem, em algum momento, te ajudará a inovar e fazer descobertas, como um novo projeto ou uma nova ideia para desenvolver. Todo e qualquer conhecimento adquirido nunca será inútil: basta deixar a serendipidade agir, reconhecer as oportunidades que surgirem e ter proatividade para agir em cima delas.

O que a serendipidade tem a ver com desenvolvimento de carreira?

Hoje, não é difícil encontrar pessoas que executam um trabalho completamente diferente da formação acadêmica que tiveram. É cada vez mais raro ver alguém seguindo uma carreira tradicional e, às vezes, é até inadequado para as condições de vida que temos hoje.

Por exemplo, um profissional pode ter uma formação em arquitetura e ser estrategista, entender de psicologia das cores e de marketing, pois quer empreender em uma startup. Esse profissional multidisciplinar, com todo seu conhecimento adquirido, pode ter aquela ideia genial, aparentemente trazida pelo “acaso”, graças à sua bagagem de conhecimento.

Quando sabemos bem qual é nosso trabalho ou nosso negócio, entendemos o que nosso público precisa, nos preparamos corretamente e sabemos onde queremos chegar, podemos utilizar a serendipidade para criar algo realmente inovador. Em nosso cotidiano, presenciamos pequenas descobertas inesperadas (ou serendipidades) constantemente. Precisamos apenas estar abertos para enxergá-las e transformá-las em boas oportunidades.

Muitas vezes, a solução está bem na nossa frente, mas não conseguimos enxergá-la. Por isso, é importante deixar a mente sempre aberta, experimentar coisas novas, ter iniciativa, se desafiar e sair de sua zona de conforto. Assim, quando nos depararmos com a serendipidade, saberemos identificá-la e transformar esta oportunidade em inovação.

O conhecimento também vem de terceiros

Conforme nossa bagagem de conhecimento cresce, descobrimos que, para continuar aprendendo, podemos contar com o networking. Aprender com outras pessoas é uma experiência extremamente válida: só de sair da nossa bolha, escutar o outro e ver as coisas sob uma nova perspectiva pode fazer toda a diferença.

Uma experiência compartilhada é algo que nos aproxima do extraordinário, mas é preciso criar ocasiões para aumentar as chances da oportunidade surgir e a serendipidade acontecer.


Conclusão

Fazer descobertas incríveis e que muitos acreditam ser obra do acaso ou da sorte é sensacional. Mas precisamos lembrar que a sorte só vira serendipidade quando se sabe o que fazer com ela.

Erros e acertos são uma fonte inesgotável de conhecimento e resultam em aprendizados que nos levam até às “conquistas pelo acaso”. A serendipidade é uma surpresa. Pode ser difícil defini-la, mas é muito fácil reconhecê-la, principalmente se você tiver autoconhecimento.

Vamos começar a valorizar mais a serendipidade e as pequenas descobertas do dia a dia? E se aproveitarmos a serendipidade para melhorar profissionalmente? Compreender como um aprendizado pode ser valoroso para sua carreira é essencial para seu desenvolvimento. E, para acelerar esse processo, você pode conversar gratuitamente com nossos especialistas, clicando aqui ou no banner abaixo.